Fale Conosco
55 (11) 3284 9500
jobeconomia@jobeconomia.com.br
Acesso Cliente
 
Notícias
 
02/06/2020 - Canal Rural
Preços de açúcar e etanol no curto prazo no Brasil: o que esperar?

Preços de açúcar e etanol no curto prazo no Brasil: o que esperar?

Os mercados no Brasil e no mundo estão sendo impactados de forma diferente pela pandemia do Coronavirus. Alguns mercados estão sendo beneficiados, como o transporte de mercadorias, alimentação em casa, serviços de “delivery”, comércio eletrônico. Outros mercados como o transporte de pessoas, turismo e energia estão sendo muito prejudicados.

O setor de cana-de-açúcar com a produção de açúcar, etanol e energia elétrica está sendo prejudicado também de forma diferente. O açúcar terá seu consumo reduzido no segmento industrial e aumentado no segmento de consumo domiciliar. No total o consumo pode cair pouco: + 2%.  Já o etanol e a energia elétrica terão o consumo muito reduzido em função da baixa mobilização e da baixa atividade econômica.

Vamos olhar agora o outro lado da questão. Trata-se do lado da oferta.

A safra no Centro-Sul vai muito bem. O clima é seco e isto agiliza a moagem de cana e aumenta o rendimento industrial da safra . Ou seja, a pressão de oferta é crescente. Se a recuperação da demanda for abaixo da expectativa que hoje predomina, teremos pressão baixista sobre preços. Em caso contrário, os preços terão viés de alta com suporte em uma oferta bem ajustada a uma demanda em recuperação.

Cabe lembrar que não existe, neste momento, um cenário com mais de 50% de probabilidade de ocorrer. Devemos esperar o melhor e nos prevenir para o pior. E como seria o cenário no curto prazo para os preços? Os comentários abaixo tomam como base nosso relatório semanal de acompanhamento de mercados.

Mercado internacional  

O efeito Coronavirus ainda predomina no mercado global. Porém, o grau de incertezas não tem aumentado e com isto algum abrandamento do isolamento social está sendo sinalizado em alguns países. Esperamos para esta semana que esta condição continue. Um fator preocupante é o fato do presidente Donald Trump continuar em sua trajetória de descontruir e criar incertezas.  

Câmbio: a taxa de câmbio no Brasil tem oscilado recentemente entre 5,25 e 5,40 R$/US$. Nossa expectativa é de dólar relativamente estável com viés de alta. A instabilidade politico-institucional no Brasil ainda é forte argumento para um Real desvalorizado. A aversão ao risco global ainda é alta com ligeira tendência de queda.. 

Petróleo WTI: os preços oscilaram na semana passada em torno de 34 U$/barril. Estamos observando algumas regiões na Europa, EUA e outras partes do mundo flexibilizando as restrições à atividade econômica e à movimentação de pessoas. Além disso, a restrição de oferta global de petróleo dá suporte a preços. Por outro lado, as incertezas criadas por Donald Trump, em se intensificando, podem acarretar em um recuo dos preços do petróleo. Preços relativamente estáveis com viés de alta podem acontecer nesta semana. 

Açúcar-NY: os preços oscilaram nos últimos quinze dias próximos de 11 cents/lb com suporte no aumento de preços do petróleo e numa oferta restrita de curto prazo; por outro lado, é baixista para preços a pressão vendedora do Brasil. Esperamos preços relativamente estáveis nesta semana com viés de alta em NY.

Mercado interno  

Região Centro-Sul. 

Açúcar: prevalece no mercado doméstico o fato do mercado externo estar oferecendo boa alternativa de comercialização do açúcar. Na semana passada os preços em São Paulo superaram ligeiramente o nível de R$ 70,00/saca 50kg em São Paulo. Preços relativamente estáveis com viés de alta é o que esperamos para esta semana.

Etanol: a moagem no CSUL vêm-se acelerando e a demanda pelo produto ainda é reduzida. Isto é baixista para preços. Por outro lado, os preços tem suporte numa oferta restrita de curto prazo, na alta dos preços do petróleo e na expectativa de uma retomada gradual da atividade econômica. Os preços do etanol vêm-se recuperando com vigor. Na semana passada o etanol hidratado alcançou preços na faixa de 1,90 R$/litro. Relativa estabilidade de preços com viés de alta pode ocorrer nesta semana. 

Região Norte-Nordeste.

Açúcar: esperamos para esta semana relativa estabilidade de preços com viés de alta . Na semana passada oscilaram em torno de 85,40 R$/litro.

Etanol: o mercado nordestino, neste momento, acompanhará o movimento de preços do CSUL com um prêmio de logística em torno de 7% no caso do etanol hidratado.

Julio Maria M. Borges
Sócio-Diretor da JOB Economia e Planejamento.

Conselheiro de Administração.

Email: julioborges@jobeconomia.com.br
Site: www.jobeconomia.com.br

 

 
 
 
 
 
 
Nome
Cidade
 
 
E-mail
 
Onde nos conheceu?
 
 
   
 
 
55 (11) 3284 9500 / jobeconomia@jobeconomia.com.br / skype: job.escritorio
JOB Economia desde 1994. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização. Criado por DRW Integrada
 
Institucional
Produtos
Serviços
Contato
Redes Sociais