Fale Conosco
55 (11) 3284 9500
jobeconomia@jobeconomia.com.br
Acesso Cliente
 
JOB na Mídia
 
   
  Reuters
08/01/2018
Previsão de preços para açúcar e etanol – São Paulo
Previsão de preços para açúcar e etanol – São Paulo - Previsão válida para a semana de 08 a 12 de Janeiro de 2018.

Previsão de preços para açúcar e etanol – São Paulo

 

Previsão válida para a semana de 08 a 12 de Janeiro de 2018

  Centro-Sul Norte-Nordeste
Açúcar Relativa estabilidade com viés de baixa. Relativa estabilidade com viés de alta.
Etanol Anidro Relativa estabilidade com viés de alta. Relativa estabilidade com viés de alta.
Etanol hidratado Relativa estabilidade com viés de alta. Relativa estabilidade com viés de alta.

Por relativa estabilidade de  preços entendemos preços iguais aos da semana passada + 1%. O grau de acerto das nossas previsões de curto-prazo tem oscilado no intervalo de 84% (no caso do açúcar e do etanol  na região CSUL) e 89% (no caso do etanol na região NNE).

Fatores que influenciam os mercados e preços no curto-prazo. Considerações sobre o trading.

Mercado interno de açúcar e etanol:

Região Centro-Sul:

Açúcar – Para esta semana, prevemos que os preços apresentem relativa estabilidade. Com o retorno do recesso de final de ano alguma demanda para reposição de estoques tende a ocorrer. Por outro lado, o suporte do mercado externo pode ser reduzido com uma possível queda de preços do açúcar no mercado externo, daí o viés de baixa.

O desconto médio de preços para o açúcar de qualidade inferior em São Paulo (cor até 250), representado pelo Índice JOB, alcançou níveis relativamente altos de 12,3%.Isto quando comparado com o açúcar de melhor qualidade (cor < 180) medido pelo Índice ESALQ. 

Etanol – Com a competitividade do etanol na bomba deixando de existir nos Estados de São Paulo e Minas Gerais, acreditamos em uma redução da demanda. Porém, devido a existência de uma inércia neste processo de redução da demanda, vemos espaço para preços relativamente estáveis ainda com viés de alta.

Região Norte-Nordeste:

Açúcar – O suporte de preços do mercado internacional de açúcar age a favor da manutenção de preços, em torno dos níveis atuais, na região nesta semana. Um viés de alta deve ser considerado via redução de oferta, na medida em que o açúcar de mercado interno é a pior opção comercial do NNE.

Etanol: O suporte de preços do CSUL cria um ambiente positivo para preços.

Mercado internacional de açúcar, petróleo e taxa de câmbio:

Açúcar: Os preços do açúcar em NY subiram nas últimas três semanas, passando de 13,70 para 15,30 ¢/lb, considerando a média semanal de preços. Ou seja, passaram de um piso para um teto observados nos últimos meses, com volumes de negócios ainda relativamente baixos. O excesso de oferta global, que está se confirmando com o tempo, deve influir negativamente nos preços daqui para frente.

  • O prêmio do açúcar refinado sobre o açúcar demerara continua relativamente baixo na faixa de US$ 50-55/t.

Fixação de preços de açúcar para exportação.

  • Os preços médios do açúcar “raw”, considerando a média semanal, apresentaram forte alta desde o final de 2017 até a semana passada.
  • A fixação de preços de exportação deve ser considerada levando-se em conta: no curto prazo os preços se mostram firmes; o excesso de oferta global persiste; todas as telas do mercado de futuros apresentam preços acima do custo d+d (despesas mais depreciação) de R$ 1050,00/ tonelada.
  • O etanol anidro continuou apresentando elevação de preços e sua remuneração passou para 1250 R$/t, acima das telas da nova safra 2018/19 do CSUL. 

Petróleo: Os preços do petróleo e gasolina seguem em alta. O resultado aponta para um forte compromisso do cartel em cumprir os cortes mesmo com preços mais altos do petróleo no mercado internacional.

Na última semana tivemos a adição de risco geopolítico no mercado, com os protestos contra o governo do Irã desde a última semana , embora a produção e as exportações do país não tenham sido afetadas. O mercado mostra relativa estabilidade com viés de alta.

O preço médio semanal da gasolina no Brasil elevou-se na última semana quando comparado com a semana anterior. Diante dos preços médios menores praticados no mercado internacional, temos espaço para queda de preços da gasolina no mercado interno nesta semana.

Câmbio: A reforma da previdência e o julgamento do ex-presidente Lula trazem incertezas de curto prazo. As eleições brasileiras trarão incertezas no médio prazo. A economia brasileira traz alívio imediato para os mercados. Tudo isto significa volatilidade potencial da taxa de câmbio.

 

 
 
 
 
 
 
Nome
Cidade
 
 
E-mail
 
Onde nos conheceu?
 
 
   
 
 
55 (11) 3284 9500 / jobeconomia@jobeconomia.com.br / skype: job.escritorio
JOB Economia desde 1994. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização. Criado por DRW Integrada
 
Institucional
Produtos
Serviços
Contato
Redes Sociais